Eu Faço Trilha

#montainbike #offroad #trekking #motocross


Deixe um comentário

Trilha Pedra da Mina – MG/SP

A Pedra da Mina, ou ocasionalmente o pico da Pedra da Mina, é oficialmente a quarta montanha mais alta do Brasil, com 2798 metros de altitude.

Localiza-se na Fazenda Serra Fina, uma seção da serra da Mantiqueira, por sua vez uma das cadeias de montanhas mais importantes do país. A Pedra da Mina situa-se na divisa entre os Estados de Minas Gerais e São Paulo, respectivamente ao seu norte e sul, e seu cume forma o ponto tríplice das divisas do município mineiro de Passa Quatro e dos paulistas de Lavrinhas e Queluz.

Na Fazenda Serra Fina existe estacionamento no local.

Informações Técnicas:

Nível: Pesada
Distancia: 17 Km Ida/Volta
Tempo da Trilha: 8 hs media subida / descida 6hr media

Requisitos para esta trilha:

Levar o mínimo de peso possível.
Usar bastão de caminhada.
Abastecer (no mínimo) 3 litros de agua.
A trilha exige bastante do condicionamento físico.
Não levar barraca alta devido ao vento forte.
Usar protetor solar e blusa durante o dia.
Um bom saco de dormir e isolante térmico.
Remédios para enjoo, dor de cabeça e sempre lembre de levar o kit de primeiros socorros.
Levar Clorin/Hidrosterin para purificação da agua, para saber mais sobre Hidrosterin clique aqui.

Sobre a Trilha:

Existem 4 entradas para esta trilha sendo: Paiolino, Toca do Lobo, Pierre, Rio Claro (Entrada proibida, área particular).

A partida da trilha será na Fazenda Serra Fina com inicio da subida pelo Paiolino, com uma caminhada de cerca de 1 KM onde iremos encontrar uma cachoeira de pequeno porte e assim reabastecendo com agua para o próximos pontos.

Nos próximos 2 km também teremos alguns pontos de reabastecimento de agua. Neste trecho a trilha se torna mais pesada sendo que para uma pessoa mais experiente pode ser considerada leve. Necessário o uso de bota porque o chão é argiloso .

Chegaremos na Panela vermelha (É uma marcação que hoje já não existe mais) existe uma bifurcação a direita onde iremos andar mais 1 KM onde chegaremos ao “Acampamento Base” à 2000 metros de altitude. Ótimo lugar para acampamento com espaço para mais ou menos para 7 barracas, sendo o último ponto de água na trilha que se encontra aproximadamente a 50 metros a esquerda, podendo escutar o barulho da agua.

Abastecemos as garrafas de água e partimos para o pior trecho da trilha, a famigerada subida do “Deus me Livre” e “Misericórdia”.

Continuamos nossa caminhada, seguindo a subida do “Deus me Livre” uma subida pesada, não há necessidade de corda mas há riscos de escorregar por ter muitas pedras, areia e paredões de pedra com aproximadamente 7m.

Chegando no topo do “Deus me Livre” teremos uma área de camping que cabe em torno de 2 barracas, um ótimo lugar para descansar.

Na próxima etapa teremos 2 morros pequenos. Desceremos um vale onde há uma área encharcada, passando por um bambuzal onde é uma área de camping para 10 barracas onde inicia a entrada para o morro da “Misericórdia” onde encontraremos um paredão mais pesado e mais curto que a “Deus me Livre”, sendo um paredão mais íngreme.

Quando você achar que chegou, verá que ainda temos mais uma caminhada. Seguindo a trilha pelos totens chegara ao ultimo acampamento base da Mina e é desse ponto que conseguimos avistar a Pedra da Mina.

Seguimos escalaminhando (Subida por Rochas) e acompanhando os totens grandes até o topo. No final recebemos a recompensa de ver o magnifico visual do topo da Pedra da Mina, a 4ª montanha mais alta do Brasil!

Teremos a vista para algumas montanhas como “Três Estados”,  “Parque Itatiaia” estão a direita de quem sobe e “Capim Amarelo” esta a esquerda.

Não há muita área para barraca com fixação e sim barracas autoportante que se monta sozinha, existem 2 áreas para camping sendo a primeira pra aproximadamente 10 barracas do lado esquerdo e seguindo ao livro do cume a algumas barricadas que podem ter 1 barraca por área e no outro lado tem outra área que cabe aproximadamente 7 barracas.

A temperatura despenca assim que o sol se põe.
Por volta das 18:30/19:30 as barracas já estavam cobertas de gelo e marcava 0°c, durante a madrugada a temperatura chegou a -9° c, estas informações podem variar conforme a época do ano.

Riscos da Trilha:

Trilha não indicada para ser feita em época de chuva, devido ao risco de acidentes e a alta incidência de raios.

Na descida exigira um pouco mais de força nos joelhos.

Dicas para a Trilha:

Considerações sobre a trilha, necessário o uso dos bastões para ajudar na subida e na descida, remédios para dor de cabeça e enjoo quando chega no cume estas dores aumentam muito mesmo para pessoas mais experientes.

Para quem esta iniciando o ideal é subir com 3 litros de agua pelo fato da subida ser pesada e não matar a cede e sim hidratar a garganta porque teremos pontos sem aguas, sendo assim a economia de agua é necessária para se manter no cume e para a descida até o próximo ponto de agua.

Mapeamento da Trilha:

Screen Shot 2017-08-24 at 5.32.06 PM.png

Clique aqui (mapa 1) / Clique aqui (mapa 2) Clique aqui (mapa3) para abrir o link do Wikiloc.

Clique aqui para ver mais fotos.

Colaboradores: Felipe Daniel De OliveiraDiêgo Silva Santos
Fonte: Mochileiros.comOs Mochileiros na Trilha